BIKE CICLOMOBILIDADE

CBC realizará Campeonato Mundial de Paraciclismo de Pista em 2018

Paraciclismo brasileiro ganha força no cenário internacional e atravessa fase de crescimento histórica na modalidade

Com uma excelente representatividade nas principais competições das últimas temporadas e detentor do atual título mundial de Paraciclismo de Estrada com o para-atleta Lauro Chaman, além de outros resultados expressivos e medalhas no Paraciclismo de Pista e Copas do Mundo, o Brasil vem ganhando cada vez mais notoriedade no cenário internacional através do excelente engajamento da Confederação Brasileira de Ciclismo para desenvolver a modalidade.

Esse respeito e confiança ficou comprovado após anuncio do Brasil como país sede para o Mundial de Paraciclismo de Pista 2018. Pela primeira vez na história o país receberá um campeonato mundial de ciclismo. A decisão foi divulgada pela União Ciclística Internacional nesta terça-feira, 19 de setembro, durante encontro com autoridades do esporte na cidade de Bergen, na Noruega, onde está acontecendo o Campeonato Mundial de Ciclismo de Estrada.

Paraciclismo brasileiro ganha força (Foto: divulgação)

A longa negociação para trazer o mundial de Paraciclismo de Pista 2018 para o Brasil começou ainda em março deste ano, logo após a edição de Los Angeles. Com isso, a confederação elaborou um excelente projeto de realização e conseguiu a aprovação unanime dos responsáveis da União Ciclística Internacional (UCI).

A competição também entrará para a história do legado olímpico brasileiro como o primeiro campeonato mundial, entre todas as modalidades esportivas, a ser realizado no país após os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Essa conquista será fundamental para contribuir e alavancar o desenvolvimento do ciclismo e suas vertentes em todo território nacional.

Para o presidente da Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC), José Luiz Vasconcellos, receber uma competição de tamanha importância será muito positivo para a evolução da modalidade e também estará contribuindo diretamente para mobilizar e valorizar as ferramentas do legado olímpico. O presidente também destacou que só foi possível confirmar a realização do mundial através de uma parceria entre a CBC, o Comitê Paralímpico Brasileiro, Ministério do Esporte e a AGLO – Agencia de Governança do Legado Olímpico.

“O Velódromo Olímpico do Rio de Janeiro tem as condições ideais para receber qualquer competição a nível mundial. Essa foi uma notícia que já estávamos aguardando ansiosos. A confederação assumiu a responsabilidade e cumpriu com todos os tramites burocráticos e financeiros para que nada pudesse dar errado. Os últimos meses foi de muito trabalho buscando apoio governamental e do Comitê Paralímpico Brasileiro, mas tudo ocorreu da melhor maneira e tenho certeza que toda a comunidade ciclística irá ganhar com a oportunidade de receber esse grande evento”, destacou Vasconcellos.