BIKE ESTRADA

Recuperado das lesões, veterano Samuel Sánchez quer novas conquistas na Vuelta

Samuel Sánchez diz estar 100% preparado. Competição Espanhola começa neste sábado, 19.

Depois de ter sido forçado a abandonar a La Vuelta 2016 devido a uma queda, dois dias antes de chegar a Madrid, Samuel Sánchez se superou de outras lesões durante o começo do ano e está “100%” para a largada da Competição Espanhola. Focado na vitória, o campeão olímpico quer expandir sua lista na corrida espanhola.

Vários veteranos da geração de ouro que ganharam tudo, voltarão a se enfrentar na corrida de três semanas a partir desde sábado em Nîmes. O tri campeão do Tour, Alberto Contador, fará sua última participação como profissional. E, em relação ao campeão olímpico Samuel Sánchez, será a 10ª participação na Vuelta, e com certeza não será a última.

Tour da Polônia. Samuel Sanchez (Foto: BMC Racing Team)

Aos 39 anos, ‘Samu’ como é conhecido, ainda não fechou o seu futuro: vai assinar um novo contrato para ficar mais um ano no pelotão e só depois encerrar sua carreira como Alberto Contador e Joaquim Rodríguez. “Quero me concentrar na Vuelta e, em seguida, tomar essa decisão tão complicada”, disse o veterano correndo BMC Racing Team, expressando seu desejo de alcançar novas vitórias em uma estrada espanhola que conhece com detalhes.

“Há muitas etapas que sei que sou bom e quero buscar a vitória”, disse Samuel Sánchez antes de retornar a um evento onde já ganhou cinco fases entre 2005 e 2007. “O fim de Cuenca me traz boas memórias, onde ganhei minha segunda etapa na Vuelta em 2006. Tem também as jornades em asturianos (sua terra natal), com o fim em Gijon, onde também já fui campeão. E, claro, o Angliru, que fica a apenas 10 milhas da minha casa “, explicou ele.

No ano passado, uma queda o deixou fora da corrida dois dias antes da chegada em Madrid, quando ele estava entre o Top 5 na final geral. Mas Samuel Sánchez não limitou suas ambições deste ano. “Em uma prova como esta, você tem que lidar com cada etapa como se fosse um dia típico, porque qualquer coisa pode acontecer”, analisa dez anos após seus pódios na Vuelta (3 em 2007 e 2 em 2009). “Um dia você está lutando para ser o campeão geral, mas no outro dia você pode estar fora. Na Vuelta, você não pode cometer o nenhum deslize”, avaliou.

Samuel Sánchez tem uma longa experiência e ainda se lembra “do gosto horrível” deixado por seu abandono no ano passado. Nesta primavera, sofreu outra queda acentuada, alguns segundos depois correr forte nos metros finais da quinta etapa da Volta do País Basco.

“Fisicamente, eu posso até dizer que tive sorte apenas com uma ruptura do tendão parcial da mão, escoriações e contusões. Mas foi um duro golpe para processar mentalmente. Eu estava me sentindo bem fisicamente e estava prestes a vencer novamente em Arrate, onde eu ganhei três vezes”, relembrou.

Samuel Sánchez fez de tudo para voltar rapidamente, e agora, diz que está 100% preparado. “Eu descansei bastante depois da Route du Sud, e foi apenas o que eu precisava. Voltei no Tour da Polónia, e não senti nenhuma dor e o meu corpo respondeu muito bem”, afirmou.

Ele também garante que a ideia de se aposentar após esta queda, nao passou pela sua mente. O Campeão Olímpico de 2008 ainda tem fogo nas pernas e um grande desejo de mostrar seu talento no mais alto nível do ciclismo, e as primeiras oportunidades virão logo que começar a 72º edição da La Vuelta Espanã.